Percepção dos idosos sobre as ações de educação em saúde desenvolvidas na atenção básica

Autores

  • Pollyana de Lima Universidade Federal de Goiás, (UFG), Goiânia, Goiás, Brasil, pollyana.lima13@gmail.com
  • Andrea Sugai Universidade Federal de Goiás,(UFG), Goiânia, Goiás, Brasil, andreasugai@gmail.com
  • Edna Pereira Universidade Federal de Goiás,(UFG), Goiânia, Goiás, Brasil, ersp13@gmail.com

DOI:

https://doi.org/10.5216/rir.v17i1.63420

Resumo

O Ministério da Saúde define como porta de entrada a Atenção Básica e como prioridade a realização de ações de educação em saúde para otimizar a saúde da pessoa idosa. Trata-se de uma pesquisa qualitativa exploratória realizada com idosos na Atenção Básica que objetivou verificar o conhecimento dos idosos sobre educação em saúde com ênfase nas facilidades e dificuldades na realização de ações educativas. A técnica de coleta de dados foi o grupo focal. Utilizou-se a Análise de Conteúdo Temática, como proposta por Bardin, para análise de dados. Participaram dos grupos focais 15 idosos. Dos grupos focais emergiram 4 categorias: Educação como comportamento versus educação como ferramenta; O aprendizado e as trocas de experiências dos idosos nas atividades educativas; Características pessoais que interferem na participação de ações de educação em saúde; descobrindo a educação em saúde como mecanismo para alcançar a qualidade de vida. A maioria dos idosos remetem conceito de educação em saúde ao ato do profissional de saúde ser cortês e educado e pouco como ferramenta para aquisição de conhecimento. Atribuem grande importância ao sentimento de acolhimento e pertencimento aos grupos de educação.  Apontam como facilitadores no processo de educação em saúde a proximidade das unidades de saúde com suas residências a disponibilidade e tempo. As dificuldades na realização e adesão às atividades educativas relatadas pelos idosos estão vinculadas às barreiras para locomoção, a falta de incentivo por parte de familiares e cuidadores e a não adaptação às atividades propostas

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andrea Sugai, Universidade Federal de Goiás,(UFG), Goiânia, Goiás, Brasil, andreasugai@gmail.com

Doutora em Política Social pela Universidade de Brasília (UnB); Mestre em Nutrição pela Universidade Federal da Bahia (UFBa); Especialista em Nutrição em Saúde Coletiva (ASBRAN) e em Nutrição Funcional pela UniCSul (CVPE); Graduada em Nutrição pela Universidade de Brasília (UnB). É docente da Faculdade de Nutrição da Universidade Federal de Goiás (UFG). Linhas de interesse: políticas públicas de alimentação e nutrição; formação profissional; educação e ensino na saúde; segurança alimentar e nutricional; educação alimentar e nutricional; consumo alimentar, avaliação nutricional e imagem corporal.

Edna Pereira, Universidade Federal de Goiás,(UFG), Goiânia, Goiás, Brasil, ersp13@gmail.com

Possui graduação em Medicina pela Universidade Federal do Maranhão (1987) e doutorado em Medicina Nefrologia pela Universidade de São Paulo (2000). Pós Doutorado em Educação Médica pela Universidade de Campinas (UNICAMP) em 2013. Atualmente é professora Titular do Departamento de Clínica Médica da Universidade Federal de Goiás. Áreas de pesquisa e atuação Nefrologia, principalmente nos seguintes temas: doença renal crônica, hipertensão arterial e glomerulopatias. Atua também como pesquisadora na área de Ensino na Saúde e participa de um Programa Internacional de Desenvolvimento Docente denominado FAIMER (Foundation Advacement International Medical Education Research) Instituto Brasil em cooperação entre EUA, Ministério da Saúde, OPAS e Universidade Federal do Ceará.

Downloads

Publicado

2020-12-26

Como Citar

DE LIMA, Pollyana; SUGAI MORTOZA, Andrea; SILVA PEREIRA, Edna Regina. Percepção dos idosos sobre as ações de educação em saúde desenvolvidas na atenção básica. Itinerarius Reflectionis, Goiânia, v. 17, n. 1, p. 01–22, 2020. DOI: 10.5216/rir.v17i1.63420. Disponível em: https://revistas.ufj.edu.br/rir/article/view/63420. Acesso em: 26 maio. 2024.

Edição

Seção

.......